quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Estrelas, épocas e pessoas

Na tela
Vejo estrelas
Cadentes
Que gotejam
Na atmosfera
Épocas
Decadentes
Bem se assemelham
Na teia
Das ruas, as pessoas depois das neuras
Carentes
Entreolham-se de esguelha.






domingo, 24 de agosto de 2014

Retire o seu sonho

Retire o seu sonho
Entre na fila
Espere a sua vez

Para sair do banco
Sem dívidas
Com o que não fez.


sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Balança e peneira

Na clássica peleja
Entre as classes
Quem agora chega
Na sua comunidade
E o seu voto pleiteia
Cospe depois na face
De quem se deixa
Levar por frases
Cheias de beleza
E de falsidade
São meras promessas
Nunca houve uma fase
Em que o nível de pobreza
Abaixasse
Tanto desta maneira
Nunca existiu tamanha acessibilidade
É uma questão de balança e peneira
Para pesar e atravessar as realidades.






quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Niterói rói

Niterói
Rói
Os ossos
E os destroços
Os dentes
Estão ausentes
Exceto no grito
O que está sendo ruído
É mais do que um ruído
Atualmente tudo é risco
Dos rastros do Rio
Terror é o único cinema
A ponte de que preciso
É a de safena.




quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Entre almoços e jantas

Tragédias
Entre almoços e jantas
Guerras
E lá pelas tantas
A vida vira uma novela
A esperança
É uma obra aberta
Apesar dos suicídios
Espirituais
E físicos
Enganado está
Quem fica rindo
De dois mil e catarse
Como apenas um trocadilho.




terça-feira, 12 de agosto de 2014

Perto dos terraços

A rota dos aeroplanos
Foi modificada
Agora eles estão passando
Perto dos terraços
Ao passo que são esquecidos os pássaros

Eu sou forçado a aumentar o volume
Da televisão de asma
Quem está fora do ar que tome uma altitude
Para ficar alto
Tanto no vídeo quanto no áudio.






segunda-feira, 11 de agosto de 2014

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

O que realmente nos interessa

A destruição da natureza
É um dos intuitos
Do projeto consumista
Vamos perecer acompanhando a novela, 
O campeonato e a propaganda

Meus pensamentos e passatempos pesam
Uns quatrocentos quilos tranquilos

O que realmente nos interessa
Não é conveniente para todo mundo
Agora tudo é à vista
Ou em suaves parcelas
A oferta se confunde com a demanda

Enquanto aviões e gaviões atravessam
As nuvens de sujeira e sigilo.







domingo, 3 de agosto de 2014