sexta-feira, 27 de julho de 2012

Pintura dinâmica


A vista da varanda
É paga em cotas
Mas eu tenho crédito abrindo janelas e portas
Ao ver a pintura dinâmica
E o vento ajuda a secar logo a tinta
O céu se pinta com um azul ímpar
E as plantas dançam
Que nem os seres animados
A moldura é maleável
E o tempo fica malévolo
Só às vezes para evitar o tédio.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Sorriso contra os quebrantos


De modo paulatino
vou me lembrando
do meu destino
só não sei quando
destilo
meu sorriso contra os quebrantos.

Enquanto eu não desvendo
a extraordinária fase
sigo vivendo e vendo
poesia como de praxe
vendo
mas é grátis.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Amigos

Amigos são mais do que os dentes
que ajudam a comer a poeira;

Amigos estão sempre presentes
ainda que não se vejam;

Amigos são oponentes
deve ser alguma brincadeira...

Amigos são os que transcendem
com o peso da leveza.




quinta-feira, 19 de julho de 2012

Livre agora e não mais às vezes


A maré não é sempre mansa
mas quando está pra peixe
nada como uma cerveja
lubrificando a garganta
livre agora e não mais às vezes
a vida quer que me veja
do meu jeito desde a infância
desde que eu me deixe
conforme a sobrenatureza.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Sala íntima de cinema


Cada dia que passa
é um filme inédito
na sala íntima de cinema

Muitos até dormem de máscara
o material deve estar fétido
não serve nem alfazema

O rolo sempre acaba
é preciso domar o exército
com balas de poema

Ainda que não haja
o próprio nome nos créditos
não viver é o real problema.

terça-feira, 10 de julho de 2012

Olhos lidos


Saber que meu livro
está físico
no Espírito
Santo e em São
Paulo é tão
acachapante
quanto distante
de onde estou:
perímetro corpóreo.
Agora os meus olhos
estão sendo lidos
nestes picos.