sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Da vida

Perdi o dia
Indo ao dentista
Fora do sistema
Um velho colega
Ganha a guarda da filha
Parei de reclamar da vida.

sábado, 24 de setembro de 2016

Leitura e leite

Não é necessário saber
Todas as regras
Da gramática
Para falar corretamente
Basta praticar a leitura

E na próxima vez que ler
Vai tirar mais leite da pedra
Aparentemente estática
Palavras são presentes
Tanto as passadas quanto as futuras.




sábado, 10 de setembro de 2016

O ideal link

Tão logo pinte
Uma ideia
Que se printe
A sua tela
A fim de que
Não se perca
Na viagem seguinte
Da própria cabeça
Seria o ideal link
Entre o que se pensa
E o que se exibe
Aos poucos e às pencas.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Uns vinis


Sob uma avalanche
De notícias
Hediondas
Há quem se canse
E, com preguiça,
É levado pelas ondas
Das capitanias hereditárias
E aéreas, apelidadas
De concessões públicas
Que agem de forma privada
Onde cabem toneladas
De merdas graúdas e miúdas
Ainda que eu não saiba
Dançar de cabeça baixa
Conforme a música
Com tantas bad news,
Só mesmo uns vinis
Deixam a gente feliz.




quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Eco lógico

o maior inimigo sou eu:
saturnino praga
que prega pudores e temores
saturnos aterrados
capricorneando a rua
cancerosa, tropical
os tópicos que cruzam
o planeta
são minha lua e meu sol
luz que grita em decibel
em si bemol
cruz zoodíaca
animalesca
eco
lógico
mas nem tão
óbvia a via
de duas mãos
ou mais
atua
como um colo que se vai
e antes de atravessar
olha pros dois lados da lua
chumbando gêmeos
universalgando
significados
songs, singles
sonhos swingados
no mais, espero, supero
suspiro
com esmero, respiro maníaco
debaixo d'água liberando
bolhas de fogo que
não se afogam nem fodendo
meus amores e humores
rumam via energenética.

domingo, 28 de agosto de 2016

Edifícios sob chamas na alvorada

Edifícios
Sob chamas
Na alvorada
É difícil
Ouvir quem chama
Na varanda cercada
De toldos e grilos
Todos os dramas
Tranquilos da minha casa
Cimento, tijolo, vidro
Persiana e câmeras
Para a audiência domesticada
Os melhores momentos
Não passam lentos
Os piores instantes
Não demoram tanto como antes.








sábado, 27 de agosto de 2016

As tramas e os traumas

Os fantasmas
Do cemitério federal
Agora festejam
As tramas e os traumas
De um tempo ditatorial
Saíram das gavetas
A fauna
Dos idiotas farreia num infame carnaval
Que não finda na quarta-feira
A calma
Para ser atributo de uma vida legal
Grita insatisfeita
As armas
Do golpe atual
São as canetas.