terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Rio por dentro

Quando parece que está quase
No final
E aparece uma frase
De humor tão fino
Que perece por ser de praxe
Rio por dentro

E eu vou morando em mais de uma casa
Sob o mesmo ritual
Mas com as mancadas menos crassas
Assim não me entusiasmo nem me irrito
Tanto a ponto de deixar cansada
A alma que me acalma com o tempo.

2 comentários:

Tomás Paoni disse...

emocionante como sempre ... adiante!

San_flower disse...

Essa mineirice carioca, esse gingado com as palavras, um toque só seu.
Beijo
san