terça-feira, 17 de julho de 2007

Milagre

É deveras fácil
Devotar um santo
E depois culpá-lo
De eventuais quebrantos

É bastante simples
Esculpir sonhos com gesso
Para seguir medroso e medíocre
Em ombros alheios

É difícil e tangível o milagre
De adocicar a existência acre
Acreditando no que há dentro
De mim, de quem dependo.

Um comentário:

*¢£@üD!NhA''' disse...

Os últimos são os primeiros que me encantam; sua voz ressoa em conssonânia trágica pela falta de ouvidos nas ruas.

Que não precise ser milagre.

Ótimos escritos...

Cuide-se...t+!