terça-feira, 19 de agosto de 2008

Para o advento da primavera

Sóis diversos
Fundam flamas de versos
E fundem a sisudez
Que me definha por imitar vocês

Chuvas estelares
Lavam almas e lares
Engarrafam o percurso
E me embriagam até ficar lúcido

Flores e amores brotam
Aos borbotões de bostas
Que geneticamente se alteram
Para o advento da primavera

Raízes se dilatam
Alçam marquises e calçadas
E me fazem claudicar
Quando não estou no ar.

Um comentário:

Beta disse...

A primavera é um caso sério...

Me lembra os filminhos da Disney,que representava essa estação com vários bichinhos fofos formando casais e flores desabrochando.

Em outras palavras: pegação total.
(eu sei...acabei com a poesia....hauuahhahhauhauha)

Bjs!