terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Muita hora nesta calma

O isolamento se divide
Entre livre e triste
Parece tão longe e simples
O equilíbrio de antanho

As gargalhadas se calam
Muita hora nesta calma
Para desfazer a mala
E lavar a alma no banho

Não é que não tenha
A viagem valido a pena
Apenas saíram de cena
As vendas para dormir sem tardança

Quase nem sempre é por pouco
A insanidade é uma questão de foco
De passagem, de didática e de gosto
Pela estática em plena dança.

3 comentários:

BEBENDO AGUA PRA LUBRIFICAR disse...

quero + poesia

RenataRodrigues disse...

Amei!!! Muita hora é tudo que precisamos nessa correria toda.

Jane disse...

Nossa, só tem poesias lindas... Sou sua fã, querido... Que facilidade para dizer coisas tão doídas e doidas..Parabéns...