terça-feira, 22 de setembro de 2009

Andando adiante

Quando me espio
No espelho de espanto
Eu percebo o corpo esguio
Dos versos em reflexos do canto

Que gostaria de ter escrito
Mas eu ainda tenho ânimo
Andando adiante, eu me resigno
E me ressignifico em câmbios

Sei que é preciso roer o osso
E ter cuidado com os dentes
E ter dinheiro e chave no bolso
E ter, ter, ter, a não ser que tente.

Um comentário:

Lívia Gomes |g* disse...

PERFEITO!
"E ter,ter,ter,a não ser que tente!"

Sensibilidade maravilhosa!
Mantenha!

;)