quarta-feira, 23 de março de 2011

Do que é ao que será

Muitas vezes eu me digo
Em tom de denúncia
Que ainda estou comigo
Não é que a exclua
Até porque você é a única
Que, sem malícia, me atura

Mas eu sou assim mesmo
O que não é nenhuma regra
De que darei sempre defeito
Enquanto a era acelera
A gente celebra e se lembra
Do que é ao que será.

Um comentário:

O Símbolo disse...

Muito bom...

Gostei do teu espaço