sábado, 9 de junho de 2012

Através das paredes

É como se nada tivesse sentido
Só para soar transmoderno
Eu ouço uma canção
Através das paredes
E teclo evitando o barulho
De quem dorme perto de mim
Enquanto ouço o marulho.

2 comentários:

Eduardo Moreira Encarnação disse...

Te vejo como um gênio
Um gênio desses incompreendidos
do Incompreensível ao inimaginável
me leva a crer no impossível
e o que é o impossível
não vejo limites para a genialidade
por isso meu gênio
meu primo amigo
limite-se apenas a ser um gênio...

(acabei de criar.. rs)

VerMent* disse...

# Tô aqui ruminando todas estas imagens, mas já entrou para o rol daqueles que mais gosto!