terça-feira, 17 de novembro de 2009

Donativos de claridade


Do grampo telefônico
Ao do cabelo camaleônico

Sei que sou humanitário
Humano e etário
Mais chique é ser perdulário
Ou mesquinho, árido

Do campo de concentração
Ao zelo da descontração

Eu só aceito caridade
Em donativos de claridade
Mas isso vem com a idade
Ou feito tempestade.

2 comentários:

Marcelo Mayer disse...

ou numa tentativa de loucura por conhecer deus

muito bom

marcele disse...

adorei seu blog, marcello.
posto algumas prosas e poesias tb...
se quiser, fique à vontade!

abs, marcele.