sábado, 15 de janeiro de 2011

Uma fresta

Desconheço
Se o desejo me deixa
Indefeso
Ou se sou eu mesmo
Que me mino
Mas não há mais tempo
Para queixas
Típicas de menino

O arco não escolta
Só arremessa a flecha
O alvo esvaece
E volta
Sempre que aparece
Uma fresta
Através da porta
Ou janela.

3 comentários:

Escrever Pra M'Entender ... disse...

"O desejo é traiçoeiro: quanto mais aumenta, mais encurrala-me! E minha única saída, é deixar-me dominar...

Fresta que eu nunca alcanço, porque nunca quero fugir."

Belo post!

=)

Lua Adversa disse...

esse tal desejo mantendo "teso o arco da promessa"

Jane disse...

Bonita poesia...eu te amo, meu filhote....