terça-feira, 17 de abril de 2007

Mina de versos

Versos a granel
não brotam do papel
nem se soltam do céu
mas se pescam
da selva de merda
como leite de pedra
fico atacado
fito o mercado
e bulhufas vejo
poeticamente a varejo
somente através do seu beijo
circunspectamente zombeteiro.

6 comentários:

caneca da plantinha disse...

Desvendando o mistério do espirito zombeteiro...que nos prega tantas peças. ou nos pressa grandes pregas?
eu não to poetizando, cacete!

caneca do pinto disse...

po, tem q ter um saca-rolha, não sei se eu troxe.

caneca da plantinha-pasquale disse...

um saca-rolhassssssss

Diogo Lyra disse...

"somente através de seu beijo, circunspectamente zombeteiro"

E isso por mais que hirsuta a barba e encaracolado o pentelho!!!

Grande Tchello, viu o scrap que eu te deixei com as informações sobre como manipular o blog?!

Jane Braga Moreira Melo disse...

Eu te amo ,né...? vc escreve muito lindo... parabéns....

Bruno disse...

"não brotam do papel
nem se soltam do céu
mas se pescam
da selva de merda
como leite de pedra"

É isso mesmo!!!

Essa é a essência da criação. Se não fosse assim, seria repetição.

Excelente!
(Bruno Boca)