quarta-feira, 9 de julho de 2008

São tantas coisas

São tantas coisas
Para descrever
Que será pouca
A minha explanação

É preciso força
Para me fazer valer
Mais do que uma mosca
Sobrevoando qualquer chavão

Enquanto não toca nem pousa
O disco para resolver
O mundo em polvorosa
Vamos de circo e pão

Talvez isso possa
Ser melhor para você
Uma bossa nova
Mas prefiro baião.

Um comentário: