quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Renascimentos e suicídios

Pelo que eu me lembro
Não será para sempre
O tempo que nos demos
Nunca será perene
Não passa de dezembro

Ouvidos moucos
Para as pessoas
Que aos poucos
Consomem a própria peçonha
Na hora do almoço

Pelo que eu me recordo
Estaremos juntos
Como se fosse um acordo
Tácito e profundo
Em vigor no mundo todo

Se não me falha a memória
Envelheceremos unidos
Apesar dos pitacos de fora
Em renascimentos e suicídios
Antes, depois e agora.

2 comentários:

M. disse...

em renascimentos e suícidios.
assassinatos?

Tchello Melo ou Marciano Macieira ou Tchellonious disse...

Diria auto-sabotagem ou autossabotagem com a nova reforma ortográfica?