sexta-feira, 15 de junho de 2007

Só o tempo é perfeito

Sem beligerância
E com a antena
Em sintonia ampla
Limpa, leve e densa

O espírito é desarmado
E não desalmado
Para colher flores
No lugar de dissabores

Larguemos as pedras
Quase perpétuas das mãos
E seguremos as rédeas
Que no vôo nos dão chão

Sob o mesmo teto
Sob o mesmo céu
Só o tempo é perfeito
E nós, você e eu.

2 comentários:

*¢£@üD!NhA''' disse...

O tempo é tanta idéia quanto o perfeito.
Vívida ilusão? Origem suspeita?
Só de homem em homem as pontuações se exclamam.
Só isso, e nada mais que só; quando assim dito.

Belo hein?! (O seu escrito, claro..hehe)

Cuide-se...t+.

Diogo Lyra disse...

É sempre o mesmo tempo, no seu tempo diferente...